empacotando a casa!

Empacota tua casa. Vai lá, coloca tudo dentro de malas: roupas, sapatos, sabonete, aqueles cremes que encontraste em promoção e compraste três pelo preço de dois, não esquece do sal, do vinagre, dos temperos, dos potinhos plásticos para colocar a comida no refrigerador, enfim, coloca tudo. Quantas malas terás ao total?

Pois é. Muitas, muitas malas. A primeira coisa que temos que aprender é lidar com a vida nômade. Com empacotar e desempacotar o tempo inteiro. E junto a isso vêm algumas restrições que, para as mulheres, passam a ser sentidas (quase) como uma sacanagem. Por exemplo: aquele xampu que adoras e custa o olho da cara está em promoção. A atitude normal seria comprar uns quatro para economizar, não? Sim, claro que sim.

Além do xampu em promoção, compras o protetor solar que vem com um protetor labial de brinde! Mais, mais!! Duas caixas de cotonete vêm com um pacote de algodão!! Compra tudo!! Cinco sabonetes Dove pelo preço de três!! Ahhhh, que felicidade!! Nãooooo. Pára e pensa. Aonde vais levar tudo isso? Tu vives em uma turnê! Pára com a doença compulsiva do “pague 3 leve 2” porque isso vai te custar caro mais adiante!

Oh, yes. Temos que dizer não as promoções. Temos que dizer não aquelas peças lindas para casa, aqueles lindos tecidos que um dia poderiam vir a ser um lindo vestido: Não e não e não!
Essa é nossa casa empacotada. Faltavam 2 malas!

Vivemos em média 6/8 semanas em uma cidade. Muitas vezes são 6/8 semanas em um país! A coisa é rápida, e quanto mais coisas temos, mais complica nossa própria vida! 

No começo pensávamos que era fácil: se faltar espaço compramos mais uma mala e tudo resolvido. Nessa de pensar tão fácil acabamos com 10 malas!! O mais engraçado é que as pessoas da turnê não se assustam com a quantidade de malas, porque algumas têm 10 ou 13 malas para si só!

As conversas sobre isso são constantes. Escutar o que as pessoas levam, é melhor ainda. No nosso caso levávamos (quando estávamos nos EUA): panela para fazer feijoada, um aparelho para fazer massa caseira, mini batedeira, muitas coisas de cozinha (colheres de pau, temperos, potinhos plástico...) um kit festa (composto de luzes pisca-pisca, alto-falantes, projetor...), kit ginástica (uma bola daquelas grandes de alongamento, DVD´s de yoga, pilates, elásticos...),  além de nossas roupas de invernos e verão, sapatos, violão, teclado, alguns objetos de decoração, aparelho disso, aparelho daquilo... ufaaaa! Enfim, o mínimo para se sentir em casa.

Agora, o pessoal leva as coisas mais engraçadas. Por exemplo: chuveiro. SIM!! Chuveiro!! Tem pessoas que levam sua própria ducha!! Tem galera que leva fantasias para as festas especiais, outros levam seus próprios travesseiros. Tem uma amiga que tem uma mala de quase 30 quilos só com objetos de decoração! Cada 6/8 semanas ela empacota tudo e ao chegar no novo apartamento, arruma tudo outra vez! Tem galera que tem piano! Outros que não vivem sem seus jogos, seus ski´s de esquiar na neve, outros que tem o tudo para jogar golfe... Uma loucura!

Não adianta, no final, o que todos querem é se sentir em casa, em qualquer ponto do mundo. E para isso, cada um tem suas manias e necessidades. Nós, por exemplo, toda cidade que vamos temos um pé de manjericão, essa é apenas uma das coisas que nos deixa mais confortável e dá a impressão de algo bem caseiro e acolhedor! Algo de natural que lembra a família e nossa cultura italiana!

Quanto ao não para as promoções, isso acontece porque para cada coisa que compramos temos que estar atentos ao peso, porque se pesar muito poderemos pagar excesso de bagagem, e isso sim é caro... Bem caro! Ah sim, e outro elemento essencial em turnê é uma balança portátil!

Vou falar muito mais sobre isso, porque é o assunto constante a cada 6/8 semanas! E, praticamente sempre, desagradável! Lembra das músicas:

"Empacota mulata, empacota, empacota to empacotando. To dobrando a minha roupa, a minha casa eu to empacotando sinhá!!!" e outra: "Pára um pouquinho, empacota um pouquinho, 560 km, 560km...!"

hehehehehe

4 comentários:

  • Lia Tansini | 2 de maio de 2011 11:43

    Nossa, Fabi. Fiquei solidária agora. Na minha vida de casada foram quatro mudanças e eu já estou de cabelo em pé só de pensar na próxima, que deve ocorrer em breve. Imagina se eu tivesse que embrulhar e desembrulhar tudo a cada seis semanas. Mee... Ainda tenho coisas encaixotadas da última mudança. Hahaha. Nessas horas a gente vê que tem muito mais do que precisa. De vez em quando me surpreendo com algo que eu nem me lembrava que tinha! Afff... Boa sorte aí pra vocês!

  • Fabi Magni | 3 de maio de 2011 04:32

    Lia, querida!!
    Eu também tenho coisas que nem sei que tenho! Mas nunca sei em que mala está!! Como absorvente brasileiro, por exemplo, nao existe melhor, mas que se compro um monte no Brasil, tenho que ficar procurando nas malas depois, hehehehe!! Nós vivemos com as "caixas das mudanças" heheheheh!!
    Beijao querida!!

  • Edurne | 5 de maio de 2011 14:12

    Muy buen resumen!! Pero recuerda que tiene su lado bueno, se aprende a no ser tan materialista, y se aprende a ser más selectivo en las elecciones... importante dato el de la báscula portátil. Muy útil!jajajaja

    Sempre positivo!!!!

    Beijos guapa!

  • Fabi Magni | 5 de maio de 2011 23:32

    hola guapa!! es verdad, aprendemos a ser menos materialistas, seguro!! Empezamos a valorar tantas cosas que antes eram apenas cotidiano... que no nos teniamos en cuenta... Nuestra vida ya nos es mas automatizada :)
    Estoy muy feliz en verte aqui :)
    Besoooo!!!