a cidade que complica

Olha como funciona nossa vida. Lembra que estamos sempre viajando e constantemente em adaptaçao? Pois sim, tudo é sempre novo. Quando estamos em um local em que a cultura é amigável e solidária nossa vida fica 70% mais fácil. Agora, quando estamos em um lugar onde as pessoas olham pra ti com cara de estranha e, de certa maneira, discriminam... Aí a coisa complica. 

Dia desses precisei ir a Embaixada do Brasil, aqui em Seul, para autenticar alguns documentos. Ok, até aí tranqüilo. Agora a pergunta: O que uma pessoa em uma situação normal faria? Resposta: Pegaria seus documentos, procuraria o endereço da embaixada, escolheria o melhor meio de transporte e chegaria à Embaixada feliz para autenticar seus documentos! Claro que sim, fácil!

É fácil, mas se estamos em Seul, tudo complica. Por quê? Porque para TUDO, absolutamente TUDO se gasta, no mínimo, o dobro de energia. Começando pelo ponto que quase ninguém fala inglês. Logo: buscar o endereço da embaixada é tarefa fácil, uma vez que o site tem opção em português. Liguei para lá e perguntei a estação de metro mais próxima: "não entendi, pode repetir senhora? Desculpa, não entendi de novo, podes repetir?" Não. Não deu para entender o nome da estação e no site não havia mapa. 
Metro Seul, quer mais complicado?

Ok, vamos para o Google mapas, não existe melhor para nós que o Google mapas, fácil de se localizar! Só que o problema é que para encontrar uma localização aqui, tens que escrever o endereço em coreano, e se tens o endereço em coreano, tens que saber decifrar o mapa que aparecerá todinho, nessa língua!

Bom, falamos com o recepcionista do hotel, para que ajudem. Peguei os documentos e, com muita calma, comecei a explicar o que necessitava. Eles têm inglês entre básico e intermediário, tentam ajudar, mas muitas vezes não entendem o que falamos, e se confundem com tudo que tentamos explicar! Pedi para que escrevesse num papel a seguinte frase em coreano: Preciso ir para Embaixada Brasileira e este é o endereço: xxxxx. Assim eu poderia mostrar para um taxista o que necessitava. 

Peguei meus documentos, o papelzinho com o escrito, o papel com o mapa em coreano e fui para estação de metro. O metro aqui é um absurdo, as pessoas te empurram forte, não são nada simpáticas e mega egocêntricas. Depois de 40 minutos chego à estação mais próxima e saio correndo para buscar um táxi. Claro: porque gastei muito tempo explicando para o pessoal da recepção o que necessitava, assim que fiquei com menos tempo para fazer tudo.

Tento pegar o primeiro táxi, o taxista diz que para ir para aquele endereço ele precisaria ir para o outro lado, que não era o lado que ele estava indo (e porque não dá a volta?). O segundo taxista olha o papel, o mapa e diz que não sabe onde fica!! Ele tinha GPS, era só colocar o endereço ali e pronto!! Mas não, eles não colocam o endereço no GPS, dizem que não sabem, e deu! O terceiro taxista olhou o mapa, olhou o bilhete com a explicação e começou a andar para o lado contrário!! Nessas alturas faltavam 15 minutos para embaixada fechar!! Aí comecei a gritar e apontar com a mão para o outro lado dizendo: "tututututututututu"  Praticamente fluente em coreano, hahah!!

Meu coração saía pela boca, eu tinha que entregar aqueles documentos naquele dia, tinha prazo!! Já havia gastado duas horas tentando chegar!! Cinco minutos depois o motorista para o carro, colocou o endereço no GPS, e seguiu para embaixada. Consegui chegar 3 minutos antes de fechar!!

Entreguei os documentos e fui ao banco pagar o boleto. Aqui existem poucos caixas eletrônicos internacionais e claro que no banco que fui nao tinha! O guarda me falou que pela área não existia caixa internacional, comecei a contar minhas moedas. Puxando uma dali, uma de lá, fechei o valor!! Depois de 10 minutos buscando moedas em todos os bolsos o guarda olha pra mim e diz: "são mais 1000 wons pelo valor do boleto". PQP!! Quase tive um treco. Graças a minha falta de organização com minhas moedas, encontrei os 1000wons e consegui pagar tudo J

Depois caminhei 30 minutos para encontrar um lugar que pudesse sacar dinheiro, e assim, voltar para casa!! Quase 4 horas depois, estava de volta.

Deu pra sentir o sufoco que nos metemos vez que outra? Quanta energia gasta para algo tão simples... Às vezes é fácil, viu, mas dependendo da cidade pode ser muito difícil!

Vivendo e aprendendo. Bonita frase.

Mas aprendendo todos os dias, todas aquelas coisas que podem ser tão automáticas, cansa um pouco.

Estou mais do que pronta para sair dessa cidade louca! 11 dias e tchau Seul!!!

6 comentários:

  • Edilse | 19 de maio de 2011 11:46

    Em se tratando de Seul, então o Brasil é um paraíso, mesmo com todas as dificuldades de um país que chamam de emergente....
    Tadinhos de vocês,mas graças a Deus é contagem regressiva.Espero que a próxima parada seja bem mais amena.
    Amo vocês.
    Beijocassssss

  • Fabi Magni | 19 de maio de 2011 17:50

    Eu também espero, Titi... contagem regressiva!!!!

  • Vívian | 10 de junho de 2011 23:23

    Eu moro na Coreia desde Dezembro, e a primeira vez que andei de metrô aqui, recebi ajuda. Os coreanos são estranhos, mas alguns são super simpáticos. Achei o seu blog ao procurar no Google alguma churrascaria brasileira em Seul. Eu já fui na Mercado, mas tô querendo variar.

  • Fabi Magni | 12 de junho de 2011 04:49

    Oi Vivian! Fomos a três restaurantes brasileiros em Seul: Mercado, Brasilia e Ipanema. A Ipanema era boa também mas acabou fechando, eu particularmente, adoro o Mercado!
    A Brasilia é apenas um restaurante de carne, mas nao churrasco.

  • Anônimo | 27 de junho de 2011 03:14

    Eu nao senti tanta dificuldade em procurar enderecos ou andar de metro em Seoul nao. Ja fui em Seoul algumas vezes e uma delas fui com uma mala grande, uma de mao e minha filha que foi no colo meu marido. Sim, as pessoas te empurram no metro. Qual e a diferenca disto no Brasil. Outra coisa, sempre tive ajuda dos coreanos, sempre foram prestativos comigo. E claro que sempre tem os mal educados, so pra variar. Tambem nao falo ingles, e nunca tive problemas por aqui.. ja achei ate um senhor qe nos levou (meu marido eu e minha filha) ate o endereco que procuravamos. Acho que vc nao deu muita sorte neste dia...rsrsrs. Sucesso na proxima.

  • Ivan Nozaki | 15 de setembro de 2011 03:36

    Oi Fabi! hehehe! Me diverti pra caramba com as suas aventuras por Seul.Realmente para quem na ta acostumado com as metropolis asiaticas é horrivel mesmo. Eu moro na regiao de Tokyo (que é quase tao complicada como Seul) hehehe. mesmo assim me perdi um pouco por la! um grande abraço!